MENSAGEM DA AUTO ESCOLA JAÇANÃ

MENSAGEM DA AUTO ESCOLA JAÇANÃ

BIJU ESPETOS

BIJU ESPETOS

sábado, 20 de maio de 2017

Temer ‘guardou no bolso’ R$ 1 milhão dos R$ 15 mi pagos em campanha, diz delator

Foto: Lula Marques/ Agência PT
O presidente Michel Temer teria embolsado R$ 1 milhão dos R$ 15 milhões recebidos do Partido dos Trabalhadores (PT) para financiar sua campanha à Vice-Presidência, em 2014. A afirmação foi feita por Roberto Saud, diretor da JBS, em depoimento ao Ministério Público Federal. A informação consta da delação de executivos da empresa, cujos detalhes foram divulgados nesta sexta-feira (19) pelo Supremo Tribunal Federal (STF). 

Ainda segundo Saud, além de Temer, Gilberto Kassab, hoje ministro da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, também usou dinheiro de caixa 2 de campanha em proveito próprio. "Eu já vi o cara pegar o dinheiro da campanha e gastar na campanha. Agora, ganhar um dinheiro do PT e guardar pra ele no bolso dele, eu acho muito difícil. Aí, ele e o Kassab fizeram isso. Só o Temer e o Kassab guardaram o dinheiro pra eles usarem de outra forma", disse o executivo. No depoimento, o delator detalha como foi feito o pagamento. 

Temer negociou os R$ 15 milhões junto ao PT, e o valor foi repartido em diversas frentes: R$ 9 milhões teriam sido pagos em cinco parcelas ao PMDB nacional, como "propina dissimulada em forma de doação oficial"; R$ 3 milhões teriam sido entregues a um intermediário do ex-deputado Eduardo Cunha em um posto de gasolina no Rio de Janeiro; e R$ 2 milhões teriam sido repassados a Duda Mendonça como parte do pagamento pela campanha de Paulo Skaf ao governo de São Paulo. 

De acordo com Saud, o pagamento a Duda Mendonças foi "simulado como se ele tivesse prestado um serviço" para uma das empresas do Grupo JBS. Ainda segundo o delator, o R$ 1 milhão que teria ficado com Temer foi entregue na sede da Argeplan Arquitetura e Engenharia, na Vila Madalena, em São Paulo. 

A empresa pertence a João Baptista Lima Filho, amigo de Temer, e já foi alvo de investigações da Operação Lava Jato. “O Temer me deu um papelzinho, e falou: 'Ó, Ricardo, tem um milhão, que quero que você entregue em dinheiro nesse endereço aqui'. O Temer falou isso. Na porta do escritório dele, na calçada. Só eu e ele na rua. Na Praça Panamericana", relatou Saud.

Nenhum comentário:

Postar um comentário